ERA MARX SATANISTA PDF

Marx, si dice, era profondamente umano. Era dominato da una sola idea: come aiutare le masse sfruttate. Paul Oestreicher, Sermons from Great St. I, Anche in Payne,

Author:Nelmaran Mom
Country:Kazakhstan
Language:English (Spanish)
Genre:Personal Growth
Published (Last):24 September 2011
Pages:77
PDF File Size:8.62 Mb
ePub File Size:6.63 Mb
ISBN:498-8-99117-532-5
Downloads:45559
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Tulrajas



O prncipe das trevas, Vendeu-a para mim. Antes de ligar-se Economia e de tornar-se um comunista de renome, Marx foi um humanista. Hoje, um tero do mundo marxista. O marxismo , de uma forma ou de outra, aceito por muitos tambm nos pases capitalistas. H at mesmo cristos, inclusive ministros, alguns de elevadas posies, que esto certos de que se Cristo tem a resposta a respeito do que fazer para se chegar ao cu, Marx tem a resposta quanto a ajudar os famintos, necessitados e oprimidos sobre a terra.

Diz-se que Marx era profundamente humano, que ele era dominado por uma idia: como ajudar as massas exploradas. O que as empobrece, afirmava ele, o capitalismo. Assim que este sistema corrupto for derrubado, aps um perodo de transio da ditadura do proletariado, surgir uma sociedade na qual todos trabalharo segundo as suas aptides, em fbricas e fazendas pertencentes coletividade, sendo remunerados de acordo com suas necessidades.

No haver Estado para governar sobre o indivduo, nem guerras, nem revolues, somente uma eterna irmandade universal. Para que as massas alcancem a felicidade, seria necessrio algo mais alm da mera derrocada do capitalismo. Marx escreve: "A extino da religio, como a felicidade ilusria do homem, uma exigncia para sua felicidade real. O chamado para que ele abandone as iluses a respeito da sua condio um chamado para abandonar uma condio que requer iluses.

A crtica religio , portanto, a crtica a este vale de lgrimas do qual a religio a aurola. H ministros que a explicam exatamente da mesma forma. O Rev. Osterreicher Inglaterra disse em um sermo: "O comunismo, sejam quais forem as suas variadas formas de expresso hoje em dia, tanto boas como ms, originalmente um movimento visando emancipao do homem da explorao pelo seu semelhante.

Sociologicamente, a Igreja esteve, e em larga escala ainda est ao lado dos exploradores do mundo. Karl Marx, cujas teorias apenas encobrem levemente uma paixo por justia e igualdade que tem suas razes nos profetas hebreus, odiava a religio porque ela foi usada, aqui na Inglaterra, como instrumento para perpetuar uma situao na qual crianas eram escravizadas e trabalhavam at a morte, a fim de enriquecer a outros. H uma centena de anos, no era nenhuma zombaria barata dizer-se que a religio era o pio das massas Como membros do Corpo de Cristo, ns precisamos chegar ao arrependimento, sabendo que devemos muito a cada comunista.

Amo a humanidade, e desejo o seu bem. Aceitaria sem qualquer escrpulo o anarquismo, o comunismo, a democracia ou o fascismo, se isso colaborasse para a felicidade da raa humana. Tenho gasto muito tempo e estudo para compreender a mente de Marx. E encontrei algumas coisas surpreendentes, que gostaria de compartilhar com o leitor. O marxismo impressiona a opinio pblica por causa do seu sucesso, mas o sucesso no prova coisa alguma.

Os feiticeiros tambm foram bem sucedidos, muitas vezes. O sucesso no confirma somente a verdade, mas tambm o erro. O fracasso muitas vezes no tem preo, pois pode abrir o caminho para verdades mais profundas. Dessa forma, faremos uma anlise de algumas obras de Marx sem considerarmos o sucesso que alcanaram. Quando muito jovem, Marx foi um cristo. A primeira obra de sua autoria que possumos tem por ttulo "A unio dos fiis com Cristo".

Nela lemos estas lindas palavras: "Atravs do amor de Cristo, voltamos nossos coraes ao mesmo tempo para nossos irmos que intimamente so ligados a ns e pelos quais Ele deu-Se a Si mesmo em sacrifcio. Assim, Marx conhecia um modo pelo qual os homens podem tornar-se irmos que se amam: o cristianismo. Ele continua: "A unio com Cristo pode dar dignidade interior, conforto na tristeza, tranqila confiana e um corao suscetvel ao amor humano, a tudo o que nobre e grande, no por causa de ambio e glria, mas somente por causa de Cristo.

Se escolhemos a posio na qual podemos realizar o mximo por Ele, ento no poderemos nunca ser esmagados pelas responsabilidades, porque elas so apenas sacrifcios feitos em favor de todos. A velha idia fixa de Cristo aparece nos escritos de Marx muito tempo aps ele se haver transformado em um fervoroso militante contra a religio.

At mesmo em um confuso livro sobre economia poltica como "O Capital", no qual reflexes sobre religio so de pouca importncia, o maduro e anti-religioso Marx escreveu, totalmente fora do contexto: "O cristianismo, com seu culto do homem abstrato, mais especificamente em seus desenvolvimentos burgueses, protestantismo, desmo, etc.

Quando terminou o ginsio, foi feita a seguinte anotao em seu certificado, sob o ttulo "Conhecimento Religioso". At certo ponto, conhece tambm a histria da igreja crist. Muito antes de ter adquirido convices socialistas, no ano de , atravs de Moses Hess, ele j se tornara profunda e veementemente anti-religioso. Um novo Marx comeara a surgir. Estava em disputa com esse algum.

Mas aquele l de cima no lhe fizera nenhum mal. Marx pertencia a uma famlia relativamente abastada. No passara fome na infncia. Estava em situao muito melhor do que muitos de seus companheiros de estudos. O que teria produzido esse dio terrvel contra Deus? Nessa declarao, estaria Marx sendo apenas o portavoz de algum? Numa idade em que todo jovem normal tem bonitos sonhos quanto a fazer o bem a outros e a preparar uma carreira para si mesmo, por que teria ele escrito estas linhas em seu poema "Invocao de Algum em Desespero"?

Todos os seus mundos foram-se, sem retorno! Nada me restou a no ser a vingana! Possa a sua felicidade preparar-lhe o seu tmulo. York, International Publishers, As palavras "desejo construir um trono para mim" e a confisso que daquele sentado sobre esse trono emanaro somente pavor e agonia lembram uma das orgulhosas jactncias de Lcifer - "Eu subirei ao cu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono.

A resposta encontrada em um drama pouco conhecido, que ele comps tambm durante seus anos de estudante. Chama-se "Oulanem". Para explicar esse ttulo, necessrio fazer uma digresso. Existe uma igreja de Satans. Um de seus rituais a missa negra, que um sacerdote satnico oficia meia-noite.

Velas negras so colocadas no castial, de cabea para baixo. O sacerdote veste-se com roupas adornadas, porm do avesso Ele diz tudo o que est indicado no livro de oraes, porm l do fim para o incio. Os nome santos de Deus, Jesus e Maria so lidos inversamente. O corpo de um mulher nua serve como altar. Uma hstia consagrada roubada de alguma igreja marcada com o nome de Satans, e usada para uma imitao de comunho. Uma Bblia queimada durante; missa negra.

Todos os presentes comprometem-se a cometer os sete pecados capitais, enumerados nos catecismos catlicos, e a nunca praticar qualquer bem. Segue-se uma orgia. A adorao ao diabo muito antiga. Lemos em Deut. Mais tarde, o rei Jeroboo de Israel constituiu sacerdotes para os demnios I Crn. Caracteristicamente, "Oulanem" uma inverso de um nome santo: um anagrama de Emanuel, nome bblico para Jesus, que em hebraico significa "Deus conosco".

Tais inverses de nomes so consideradas eficazes na magia negra. Somente poderemos compreender o drama Oulanem, se ouvirmos primeiro a estranha confisso feita por Marx em um poema intitulado "O Violinista", mais tarde declamado tanto por ele como pelos seus seguidores: "Os vapores infernais elevam-se e enchem o crebro, At que eu enlouquea e meu corao seja totalmente mudado.

V esta espada? O prncipe das trevas Vendeu-a para mim. Ele paga por ela, assinando, com o sangue tirado dos pulsos, um pacto segundo o qual sua alma pertencer a Satans aps a morte. E agora uma citao do drama Oulanem: "Pois ele marca o compasso e d os sinais. Cada vez mais ousado, eu me entrego a dana da morte. Eles tambm so Oulanem. Este nome ressoa fortemente como a morte.

Soando at morrer em vil rastejo. Agora o agarrei! Ergue-se da minha alma To claro como o ar, to forte como meus prprios ossos. Com a fora de um furaco. Enquanto para ns ambos, o abismo se abre nas trevas. Sussurrando em seus ouvidos: "Desa, venha comigo amigo". A Bblia que Marx estudou nos seus anos de colgio, e que ele conhecia bastante bem na idade madura, diz que o diabo ser amarrado por um anjo e lanado no abismo sem fundo abyssos em grego: Apoc.

Marx deseja arrastar toda a humanidade para esse abismo reservado para o diabo e seus anjos. Quem fala atravs de Marx nesse drama? Em nenhum lugar do mundo esse ideal cultivado, exceto nos rituais de iniciao da igreja de Satans, em seus mais elevados estgios. Aproxima-se a hora da morte de Oulanem. Suas palavras so: "Arruinado, arruinado. Meu tempo esgotou-se. O relgio parou, a casa do pigmeu desmoronou. Breve apertarei a eternidade ao peito, E breve bradarei gigantescas maldies sobre a humanidade.

Marx citou essas palavras em O 18 Brumaire. Stlin agiu de acordo com elas, destruindo at mesmo a sua prpria famlia. A seita satanista no materialista. Ela cr na vida eterna. Oulanem, o personagem por quem Marx fala, no nega a vida eterna.

AMALGAM VIRGO 01 PDF

Resenhas - Era Karl Marx um Satanista?

Nunca se retratou do pacto com o diabo. A luta era seu elemento. E ele lutou com uma tenacidade e um sucesso com quem poucos puderam rivalizar. The Last National Question. Como se harmonizaram em sua mente o sionismo socialista com o satanismo? Eu o destruirei!

DANIEL GIVONE PDF

Mistero Marx – Quello che le Università Occultano

.

BRON YR AUR TAB PDF

Era Karl Marx Um Satanista

.

6331 SAYL KANUN PDF

Karl Marx: Satanista Confesso

.

Related Articles